Dicas e cuidados na hora de trocar o piso de sua casa

Blog Workay!

Notícias e conteúdos para quem busca encontrar o profissional certo sem dor de cabeça.

Dicas e cuidados na hora de trocar o piso de sua casa

04 Setembro 2018

Aprenda agora como prevenir problemas depois que decidir mudar o piso de seu lar

Escrito por: Stéphanie Rosemberg(arquiteta e urbanista)

Na hora da reforma, muitas dúvidas e preocupações surgem, e depois que se escolhe o tipo de piso para cada ambiente, pode ser uma grande dificuldade definir como aplicá-lo e quais riscos e questões envolverão a sua execução.

Porcelanato, cerâmica, cimento queimado, laminados, carpete, vinílico... Opções no mercado não faltam para transformar seu lar no que exatamente foi planejado, entretanto, cada um com suas propriedades acarreta em uma série de providências na sua obra para que não gerem problemas.

Acompanhe as seguintes dicas e se prepare melhor na sua troca de piso:

1) Quebra-quebra ou piso sobre piso?

Atualmente se fala muito de obras que geram menos sujeira e menos barulho, e dessa forma, muitos têm preferido a sobreposição de piso, porém pouco se fala dos devidos cuidados que se deve ter após definido isso. A colocação de piso sobre piso é de fato mais limpa do que a quebra ou retirada do piso anterior e o custo da obra é mais baixo, no entanto, é muito importante que se atente à altura do novo material a ser empregado em conjunto com possíveis massas e rejuntes a serem utilizadas, pois isso pode prejudicar a abertura de portas (sendo necessário seu corte, muitas vezes) e também provocar reajuste de soleiras, baguetes, pontos de ralo e tomadas. Além disso, caso o piso antigo possua placas soltas, a probabilidade do novo piso acima soltar é grande.

Já quando se resolve retirar o piso antigo antes de instalar o novo, é preciso voltar a atenção ao contrapiso, que deve estar firme e regular. Caso contrário será necessário refazê-lo. A maior desvantagem deste tipo de obra está no “quebra-quebra” que ocasiona formação de entulho, barulho e poeira.

A considerar estes fatores, é sempre preciso que se pondere a real eficiência de cada tipo de obra, com as vantagens e desvantagens de cada prática.

2) A escolha e compra do piso

É de extrema importância que se calcule uma margem de 10 a 15% a mais de peças adquiridas para aplicação, pois existe sempre a possibilidade de perda em obra, e é um grave erro pensar que se não comprar esta reserva é só comprar mais depois. A produção dos materiais de revestimento é feita por lotes, e normalmente há desvios nos padrões de cores entre uma leva e outra. Assim, verifique se todos os pacotes entregues são do mesmo lote e se há alguma peça defeituosa ou quebrada, e, caso aconteça de precisar comprar peças sobressalentes depois da obtenção inicial, leve uma peça (ou pedaço dela) à loja para que compare e consiga encontrar a de cor mais fiel ao que já está aplicado. Também é necessária cautela ao escolher produtos pela internet, pois as cores e texturas podem não ser realistas.

Ainda vale ressaltar que na condição de sobra de material, algumas lojas aceitam a devolução de caixas fechadas e o valor é revertido em crédito para futuras compras.

3) Cronograma de obra

É fundamental que só se inicie a obra quando o material estiver todo comprado, recebido e verificado. Aqui vale lembrar que o consumidor tem o prazo de 90 dias para reclamar do material entregue e pedir sua troca, caso for preciso. Dessa forma, quanto mais cedo for feita a encomenda dos produtos necessários para obra, melhor será atendido o cronograma.

4) Aplicação do produto

A aplicação do novo piso deve obedecer aos padrões de assentamento exigidos pelo fabricante das peças.

5) Planeje sua troca de piso

Faça uma escolha inteligente para sua obra, e permita que os profissionais mais indicados do mercado te auxiliem na sua troca de piso. Entre em contato com a workay e faça já o seu orçamento!

Foto: iStock_DimitarOmi